Estudo mostra que maioria dos criadouros do Aedes aegypti está no lixo domiciliar

A Redação
Postado em: 15 de janeiro de 2024.

Estudo realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), intitulado Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), constatou que a maioria dos criadouros do inseto transmissor dessas doenças foi encontrada dentro das casas, mais precisamente no lixo armazenado, retirado e desprezado de maneira incorreta.

 

O levantamento mostra que os moradores, na maioria das vezes, fazem o descarte do lixo seco junto com líquido. O correto é fazer o descarte antes que aconteça o acúmulo de água, até que seja feito o recolhimento por parte do serviço de coleta urbana.

 

Os dados da SES-GO mostram que no ano de 2023 foram confirmados 64.160 casos de dengue em Goiás; 2.274 de chikungunya e 29 de zika. Estudos mostram que está em circulação o vírus tipo 3 da dengue, mais agressivo, que já esteve presente no país há cerca de 15 anos. Esse fato acende o sinal de alerta para o risco de uma nova epidemia causada por esse sorotipo viral.


Foto: Freepic/SES
A Redação

Compartilhe este artigo/matéria
Deixe um comentário