HGG utiliza toxina de forma inédita em procedimentos

Redação
Por Redação 59 visualizações

O Hospital Estadual Dr. Alberto Rassi (HGG), em Goiânia, começou a realizar a aplicação da toxina botulínica, um procedimento inédito na unidade. A toxina é uma substância que controla os sintomas da sialorreia, condição caracterizada por uma produção abundante de saliva, ocasionando a perda não intencional de saliva dos pacientes.

Os primeiros procedimentos foram realizados em pacientes da ala de cuidados paliativos do hospital. Médica geriatra e coordenadora do Núcleo de Apoio ao Paciente Paliativo (NAPP) do HGG, Ana Maria Porto Carvas explica que a iniciativa é muito importante para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), pois a sialorreia é uma condição frequente em pacientes com sequelas neurológicas graves.

De acordo com a cirurgiã dentista do HGG, Camila de Freitas Silveira, a iniciativa é inédita em Goiás.

“Os resultados apresentados por esse tipo de terapia traz bastante relevância para os serviços de odontologia e medicina. Além de reduzir a broncoaspiração, auxilia na diminuição dos casos de pneumonia. Foi um momento especial, ainda mais porque pôde ser feito de forma interdisciplinar, à beira leito, associado a tecnologias como via ultrassom. Além disso, as famílias dos pacientes trouxeram um feedback positivo, com os pacientes apresentando redução do fluxo salivar sem efeitos adversos”, explicou.

Foto: SES
Compartilhe